Ultimamente, o mercado chinês tem estado nos centros das atenções do público e dos noticiários. Por isso, que tal conhecer mais sobre um dos maiores mercados financeiros do mundo? Continue lendo e conheça as bolsas de valores da China.

Primeiramente, é importante destacar que a China possui mais de uma bolsa de valores: a bolsa de Xangai e Shenzhen. Além disso, há a bolsa de Hong Kong, que possui certa autonomia e não está vinculada a Pequim, portanto, vamos nos focar nas duas primeiras.

Conheça a Bolsa de Xangai (Shanghai Stock Exchange – SSE)

A Bolsa de Xangai (Shanghai Stock Exchange – SSE) foi fundada em 1928, mas acabou sendo interditada em 1950, durante a Revolução Comunista Chinesa. 

Foi apenas em 1990 que o Banco Popular da China permitiu que as Bolsas de Xangai e de Shenzhen pudessem ser abertas, na busca por modernizar a economia chinesa, trazendo para seu país investidores estrangeiros. 

As ações negociadas em Xangai dividem-se em duas categorias: A-share, que são aquelas negociadas em renminbi (moeda chinesa oficial) e B-share, que são negociadas em dólar. 

O valor de mercado da Bolsa de Xangai é de mais de US$4 trilhões, sendo a maior bolsa da China e, em 2020, era a 4ª maior do mundo. 

Um dos principais índices para avaliar o seu desempenho, assim como o Ibovespa é para a B3, é o índice SSE Composite, mas este se destaca por incluir literalmente todas as empresas negociadas, e não apenas as principais.

Conheça a bolsa de Shenzhen (Shenzhen Stock Exchange – SZSE)

A Bolsa de Shenzhen (Shenzhen Stock Exchange – SZSE), como dito anteriormente, foi fundada em 1990, sendo atualmente menor que a Bolsa de Xangai, com um valor de mercado de aproximadamente US$3,90 trilhões, a 8ª maior bolsa do mundo. 

Além disso, suas ações também são divididas nas categorias A-shares e B-shares.

Se por um lado elas parecerem relativamente iguais, a despeito do valor de mercado, ambas as bolsas atendem a finalidades e agentes diferentes:

Bolsa de Xangai: é onde normalmente operam os bancos e fundos de investimentos, e também é onde se encontram empresas maiores e estatais. 

Bolsa de Shenzhen: é onde a grande maioria dos investidores individuais operam, podendo-se encontrar empresas de menor porte e que envolvem setores emergentes.

Qual horário de funcionamento das bolsas da China

Por fim, uma peculiaridade de ambas as bolsas: o pregão dura apenas 4 horas, havendo uma pausa às 11 horas para o almoço. Esta prática possui uma finalidade econômica, visando incrementar as negociações. 

Além disso, não é uma exclusividade das bolsas chinesas, sendo uma prática adotada em países como Singapura e Turquia.

Para saber mais, leia o artigo “Invista nas principais empresas da China com o XINA11”.